O Acervo

A formação do arquivo pessoal de Francisco Curt Lange (originalmente incluindo a coleção de manuscritos musicais hoje custodiada pelo Museu da Inconfidência de Ouro Preto, Minas Gerais) se deu através de um processo longo e complexo, iniciado ainda nos primórdios do século vinte, quando a musicologia era uma área de conhecimento ainda embrionária na América Latina.

O acervo constitui-se em um importante conjunto de documentos acumulados em função da intensa atividade do musicólogo, tanto no conjunto da América Latina como no âmbito especificamente brasileiro, mas também com várias passagens por instituições européias e norte-americanas.

Destacam-se, no conjunto, a sua prolífica correspondência com diversas personalidades da música do século vinte, fac-símiles e originais de documentos, livros raros, cópias de partituras e edições musicais correspondentes às suas pesquisas sobre a música latino-americana dos séculos XVIII e XIX, manuscritos de inúmeros trabalhos científicos, como os dossiês do Léxico Americano de Compositores, os originais de sua História da Música na Capitania Geral de Minas Gerais, entre outros. Mas o arquivo de Curt Lange contém uma grande diversidade de tipos documentais, em suportes variados, aliás, coerentemente com a noção atual de documento, tal como estabelecida pela Norma Geral Internacional de Descrição Arquivística – ISAD(G), que extrapola o conceito tradicional de documento em suporte de papel.

Encontram-se nele material iconográfico variado, equipamentos técnicos, registros audiovisuais, instrumentos musicais, mobiliário, enfim, uma vasta gama que reflete a visão arrojada do musicólogo em relação ao valor de informação e à abrangência do conceito de documento. O acervo é composto, portanto, pela totalidade de sua correspondência, por parte importante de sua biblioteca, por coleções de instrumentos musicais e equipamentos técnicos, por diversos tipos de documentos manuscritos, tais como originais de artigos científicos, transcrições e edições de obras musicais, além de milhares de fotografias, negativos e filmes, centenas de discos e outros tipos de registros sonoros, documentos de relevada importância musicológica e histórica.

Em 1995, através do apoio do BDMG Cultural e da VITAE, passou a custodiá-lo a Universidade Federal de Minas Gerais, onde ficou conhecido como Acervo Curt Lange. A partir de 1999, a Biblioteca Universitária implementou diversas intervenções sobre o acervo, com a colaboração de diversos profissionais das áreas de música, arquivologia e ciência da informação, entre os quais destacam-se as professoras Vilma Moreira dos Santos e Rosângela Pereira de Tugny, as bibliotecárias Marlene Fátima Vieira Lopes e Maria Helena Santos, além de raduandos de diversas áreas, como História, Música, Ciência da Informação e Belas Artes, em verdadeiro trabalho interdisciplinar. Tem sido fundamental, em todo este período, o apoio da Fundação Mendes Pimentel – FUMP e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, que permitiu a realização de projetos encadeados e a realização de metas importantes, sem as quais não teríamos atingido o estágio atual.

Através destas intervenções sobre o material que constitui o Acervo Curt Lange, observada a sua natureza arquivística, pôde-se revisar e refinar o arranjo dado, chegando a um quadro composto de treze séries documentais.

Séries Documentais


Voltar